Segundo o site Mega Curioso, sete dos grandes gênios da humanidade tinham hábitos um tanto peculiares. 

Confira:

1 – Pitágoras odiava feijão

Ainda que o matemático seja considerado um dos primeiros vegetarianos do mundo, isso não significa que ele gostava mesmo de todos os alimentos que não fossem carne. Pitágoras detestava feijão e proibia as pessoas que o cercavam de até mesmo tocar nessas leguminosas – o pavor que ele tinha de feijão era tanto que alguns relatos dizem que ele não escapou de seus perseguidores e acabou morrendo porque se recusou a se esconder em meio a uma plantação de feijão.

2 – Demóstenes ensaiava seus discursos em um esconderijo subterrâneo

O orador grego tinha uma forma peculiar de se preparar para suas oratórias: basicamente, ele ficava escondido em um lugar subterrâneo, por longos períodos. Lá, ele ensaiava seus discursos com pedras na boca e, quando sentia que poderia agir por impulso, raspava metade de sua cabeça – isso o desencorajava de fazer discursos antes de estar realmente pronto.

3 – Balzac bebia 50 xícaras de café por dia

O escritor certamente era viciado em cafeína, e não é à toa que ele se dizia muito produtivo. O problema foi que o excesso de café acabou provocando sérias dores no estômago e na cabeça – além, é claro, de ter deixado o escritor com a pressão bastante alta.

4 – Stravinsky ficava de ponta-cabeça

O compositor Igor Stravinsky ficava de ponta-cabeça por 15 minutos todas as manhãs. Segundo ele, essa prática limpava o cérebro.

5 – Da Vinci e Tesla tinham rotinas de sono estranhas

Leonardo da Vinci seguia o ciclo polifásico de sono, que significa que ele tirava diversos cochilos ao longo do dia. Já Nikola Tesla dormia muito pouco mesmo – só 2 horas por noite.

6 – Tesla e o exercício dos dedos do pé

Falando em Tesla, vale mencionar outra prática peculiar do cientista: ele curvava os dedos dos pés 100 vezes todas as noites antes de se deitar. O motivo? Ele acreditava que a prática era capaz de aumentar suas células cerebrais.

7 – Benjamin Franklin ficava peladão na frente da janela

Todos os dias, antes de começar a trabalhar, Bejanmin Franklin ficava 1 hora tomando o que chamava de “banho de ar”, totalmente pelado, em frente a uma janela aberta.